quarta-feira, 26 de agosto de 2015

ACORDO

ACORDO

Acordo respirando os espaços
fechados onde habitas sem mim.

Acordo adormecida, talvez esquecida
pela chuva impenetrável das sombras

Acordo no vazio da noite sem palavras
agarrada à nudez da manhã submersa.

Acordo nua no teu corpo nas veias
que te faz gemer ao ritmo dos versos

Acordo sempre com o teu doce respirar
onde tu de mim, respiras o meu amor.
 
Isabel Morais Ribeiro Fonseca