quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

RIOS

RIOS

Os rios transbordam
As águas tristes de solidão
Madrugadas frias
Tristes com secura da saudade
Ausentes, perdidas
Dolorosamente sentidas
Esquecidas, salpicadas
Salgadas, doces
Entre o nevoeiro
Os rios transbordam as águas
Fecundadas
Amadurecidas na escuridão

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

domingo, 26 de janeiro de 2014

"PERDIDA ANDA"

 "PERDIDA ANDA"

Perdida, andava
Andava a minha alma
A minha mente
Numa estrada
Num caminho
Num trilho
Cheia de solidão
Dias cinzentos
Noites sombrias
Adormecidas, perdidas
Esquecidas, feridas, magoadas.
Rompi o silêncio que jazia na minha alma
Deixei o sol entrar.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Pedaços de um caminho...


Pedaços de um caminho
..........Feito de algodão
Doce, amargo
...........Perde-se em nada
Caminha sozinho
.........Feito de várias cores
De vários sabores.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca


segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

MUNDO


Um mundo sem homens
Sem deuses, sem tempo,
Sem destino, sem hipocrisia
Sem dor e sem fome.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

A FORÇA...


A força do amor carrego no peito
Suplante todas as dores e fraquezas
Seja sempre saciada de encantos e beleza.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

SENHOR


Senhor
Abençoa-nos e guarda, o nosso sono desta noite
Perdoa toda a maldade, que há em cada ser humano
Não consigo dizer-te obrigado, pelo amor que nos tens
O amor e a humildade, serão sempre nobres companhias.
Foi por mim e por todos nós que te entregaste na cruz.
A tantas almas que te amam que afligem-se penosamente
Por estarem afastadas de tua presença
Perdoa todas as nossas faltas.
Pedimos para que possamos, com elas aprender e crescer.
Eu não quero nunca desistir de ti...
Põe-me no Teu colo e sussurra no meu coração
Para que eu tenha sempre fé..
Agora, que o meu coração é teu.
Tu vieste e tocaste-me, e ensinaste-me a amar-te.
Só por Ti eu quero viver.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

sábado, 4 de janeiro de 2014

ESTREMEÇO


Rasguei-me muitas vezes
Onde consumi-me de mim mesma
Olhei para o infinito esqueci a minha alma
Perdi-me no silêncio que há em mim
Hoje recolho a energia que ficou no caminho
Espremo tudo que não presta em mim
Expectativas, são que jamais o céu deixe brilhar
Que a minha alma estremeça sempre que veja o sol.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca



Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ Scorpions ♥ Maybe I Maybe you ♥ ♥


quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

LUZ PERFUMADA

LUZ PERFUMADA

Brumas de luz perfumadas
Das serras e montes, regaço de terra
De aroma de folhas secas e verdes.
Não perturbemos a mãe natureza sábia
De palavras, de gestos, de silêncios
Que povoa a alma de música de diálogos.
Fantasia da serra verdejante
Aldeia de sábios, velhos sozinhos
Esquecidos e tristes, talvez não tragam Deus com eles
Almas doces amargas com desalento.

MariaIsabelMoraisRF