segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

CAMINHO VAZIO

CAMINHO VAZIO

Sou o vento frio e alma
O alguém que passa na rua
Não tenho nome, não tenho idade.
Céu cinzento, nuvens baixas carregadas ao vento
Esparsas, escuras, velozes, secretas, frias
Eu sei que existe o inferno porque
Tenho andado, perto dele, não pergunte-me o caminho
Não foi lá de bom agrado, fui levada e permaneci
Perdida à espera de um anjo, de uma mão amiga
Hoje sei que ele existe na nossa alma e em cada esquina
Esta é uma armadilha que não deixa marcas na pele
Tentando não enlouquecer neste inferno com a realidade
De sorrir antes de despedaçar-me nesta emoção vazia

MariaIsabelMoraisRF


sábado, 28 de dezembro de 2013

CHUVA NO VIDRO

CHUVA NO VIDRO

        Da minha janela ouço.
A chuva, a bater no vidro
        Vou ficar aqui para ver a chuva cair
Faz-me lembrar que o teu cheiro ficou em mim
    Vou chorar, mas de saudades tuas
Que saudades tenho de ti
      É como o cheiro da chuva
E as lágrimas a cair
   Amor, tu que incendeias toda a minha alma
Pois não posso mais voar
      Sai de mim amor cruel
És a tormenta dos meus pensamentos loucos
      Tu és a minha fogueira onde arde o meu coração
Amar as estrelas é amar-te na luz
      Sentir a brisa do mar na minha cara,
São como beijos molhados a sal
     Tens um sorriso tão belo e feiticeiro
Sai de mim porque a saudade faz-me chorar
     Amar-te é paixão assolapada.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

VIVER


Viver, sentir
.....Amar, chorar
Sofrer, falar
.........Calar, esconder
Paixão, dor
........Feliz, felicidade
Temos medo de tudo e de nada.

MariaIsabelMoraisRF



sábado, 21 de dezembro de 2013

BRUMAS


Brumas da alma
Que se esconde, nas horas
No tempo e na solidão
Noite fechada onde se encontra
A esperança dos homens
Da sua própria escuridão.

 MariaIsabelMoraisRF


quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

domingo, 15 de dezembro de 2013

CASTELO

CASTELO

Faço da minha vida um castelo
............De silêncio severo e prolongado
Perco o riso no sossego dos meus dias
................Esquecimento das emoções
Da ausência de afetos.
..............Onde calo o meu desejo
Com pensamento equilibrado.
...........Adormeço num sonho miserável
Onde o céu derrete.

MariaIsabelMoraisRF

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

SENHOR

Senhor
Quero agradecer-te este dia
Pelo ar que respiro, pelo cheiro do ar
Das cores das folhas que caiem das árvores
Pela família, amigos, companheiros de trabalho
Pelo frio, vento, chuva, neve, sol
Bendito sejas meu amo e Senhor
Por tudo que me dás, sem eu o merecer
Obrigado Senhor.


MariaIsabelMoraisRF

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

JARDIM DE RASTROS

JARDIM DE RASTROS

Vestígios dos meus passos rastros
Onde o amor vive, insiste e resiste
Nesta areia fina da nossa existência.
Os rastros apagam-se sem lembranças
Evaporadas sem saída, becos escondidos
Caminhos lúcidos sem relutância ou resistência
Trilhei um verso, uma prosa de uma flor
De uma rosa, orquídea, jasmim, perfumadas
Desfiz-me num maltrapilho de mim mesma
Transfigurei uma sombra refletida e sentida
Em tempo e afeição, desilusão num encanto.
Sonho acordado aquarela aquecida do poeta
Que renove as dores da saudade, amor ou solidão
Vivendo de amores perdidos talvez no coração.

MariaIsabelMoraisRF

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

AFAGO

 AFAGO

Afago o meu beijo
De esgrima da tua boca de mel salgada
Sussurros de um duelo feito em silêncio
Corpo de seda, quente, ardente
Onde afago a minha dor, o meu lamento
Pranto da minha alma, paixão de fogo
Inexplicado, sentimento de lágrimas solta.

 MariaIsabelMoraisRF

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

domingo, 1 de dezembro de 2013

AFASTAR-ME


Vou afastar-me por uns momentos
.........Refletir, ponderar
Rezar, compreender
.....Cansei-me de querer sofrer
De chorar, de esperar, de correr
........Por momentos pensei que não vivia.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca