segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

CAMINHO VAZIO

CAMINHO VAZIO

Sou o vento frio e alma
O alguém que passa na rua
Não tenho nome, não tenho idade.
Céu cinzento, nuvens baixas carregadas ao vento
Esparsas, escuras, velozes, secretas, frias
Eu sei que existe o inferno porque
Tenho andado, perto dele, não pergunte-me o caminho
Não foi lá de bom agrado, fui levada e permaneci
Perdida à espera de um anjo, de uma mão amiga
Hoje sei que ele existe na nossa alma e em cada esquina
Esta é uma armadilha que não deixa marcas na pele
Tentando não enlouquecer neste inferno com a realidade
De sorrir antes de despedaçar-me nesta emoção vazia

MariaIsabelMoraisRF